home NOTICIA GERAL-01 122 views #

Sétimo Painel de Bandas reúne mais de 300 músicos em Salinas

O evento promove a capacitação de instrumentistas que integram bandas de música

 

Salinas, na região nordeste do Pará, recebeu no fim de semana, o Painel Funarte de Bandas de Música, evento realizado há sete anos em parceria entre a Fundação Carlos Gomes (FCG) e a Fundação Nacional de Artes (Funarte). Criado há mais de 40 anos, o evento promove a capacitação de instrumentistas que integram bandas de música, contribuindo para a preservação dessa rica tradição musical brasileira.
O evento teve mais de 350 inscritos vindos de diversas regiões do estado. O estudante Richarlisson Freitas Lisboa, 23 anos, veio de Tucuruí para participar pela primeira vez do evento. O músico, que toca bombardino, veio com outros estudantes junto com o regente da banda do Instituto Federal do Pará, Luis Antonio, que já esteve em outras edições do Painel e desta vez compareceu acompanhado dos alunos.

Criado há mais de 40 anos, o evento promove a capacitação de instrumentistas que integram bandas de música, contribuindo para a preservação dessa rica tradição musical brasileira. Foto Kleydson Oliveira/Informe Salinas

“Eu achei maravilhoso. A cidade é muito linda. Os músicos que vieram são excelentes. Aprendi muito, enriqueceu bastante o nosso conhecimento e a oportunidade de tocar aqui foi muito especial”, disse Richarlisson, que fez a oficina de tuba/bombardino ministrada pelo professor Fernando Deddos, da Escola de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
Um dos maiores grupos de alunos veio da Ilha do Marajó. O adolescente Maximiliano Pantoja, 14 anos, integra a banda “Antonio Malato”, de Ponta de Pedras. Além da viagem de barco, os músicos ainda enfrentaram três horas de asfalto para chegar a Salinas. A caravana que compareceu ao Painel levou mais de 60 músicos. “Foi a primeira vez que participei. Aprendi muito. Fiquei feliz em participar”.
O evento reuniu professores de diversas regiões do país, como o maestro Dario Sotelo, o flautista Eduardo monteiro, o clarinetista Cristiano Alves e o arranjador Paulo Aragão, e também abriu espaço para cinco músicos paraenses que lecionam no Instituto Estadual Carlos Gomes (IECG) como Luis Balieiro, Marcos Matos, Enokleson Bezerra, Natanael dos Santos e Elizeu Cordeiro.
“Nesse processo que temos desenvolvido com o Painel, cada região do Brasil tem suas particularidades. Este ano um dos pontos que nós achamos importantes, como coordenação da atividade nacional dos Painéis Funarte, foi envolver professores locais. Isso está acontecendo aqui e em São Paulo também. Porque você tem professores contratados pela Funarte que são reconhecidos nacionalmente como grandes instrumentistas e a gente também procurou reconhecer professores da localidade que estão desenvolvendo um trabalho consistente e isso se deu aqui com vários professores da FCG que é a principal instituição musical do estado” explicou o maestro Marcelo Jardim, coordenador pedagógico do Painel.
O norte americano Darrin C. Milling, primeiro trombonista da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) foi um dos grandes nomes do evento. O músico está há 20 anos no Brasil e foi a primeira experiência dele na Amazônia em um evento voltado para as bandas de música. “A presença dele é muito importante para conhecer esse movimento de bandas que existe no Brasil e principalmente aqui no Pará, que tem uma forte tradição musical”, disse Jardim.
O coordenador pedagógico também destacou a parceria entre as duas instituições, que proporcionou realizar o evento por tantas vezes no Pará. “Essa relação com o Pará ela é muito específica em função de ser a sétima edição. Em nenhum outro estado do Brasil aconteceu do Painel Funarte de Banda ser replicado, ter continuidade. O Painel tem sua característica pela sua itinerância. Aqui no Pará, pela parceria que aconteceu, a itinerância se deu através das cidades e não do estado. Então, conseguimos fixar o Painel sempre aqui em função da parceria com a FCG e pelos resultados dessa parceria, com o fomento a realização de eventos como o Música das Américas, voltado para as bandas sinfônicas”.
As aulas e os recitais foram ministrados na Escola Municipal Cecília de Nazaré da Fonseca, que recebeu o apoio de equipes da FCG e da Funarte. Nos três dias de evento, os participantes aprimoraram os conhecimentos no instrumento que tocam e também em disciplinas como prática de conjunto, música de câmara, percepção musical, arranjos e regência, bem como receberam orientações em manutenção básica e reparo de instrumentos.
Os concertos de encerramento do Painel de Bandas em Salinas foram realizados no sábado à noite (17) no ginásio da escola, com apresentações musicais de alunos e professores que participaram das oficinas. Um dos momentos marcantes foi a participação de alunos do projeto musical “Caminhos da Melodia”, realizado em escolas de Salinas e que atende mais de 100 jovens, que apresentou a composição “Foi Boto Sinhá”, do maestro paraense Waldemar Henrique.
Um grande público compareceu para prestigiar o evento que contou com a presença do superintende da Fundação Carlos Gomes, Paulo José Campos de Melo, da diretora administrativa da Fundação, Suely Fraiha, de representantes da secretaria municipal de cultura de Salinópolis, do diretor da escola e da deputada estadual eleita Paula Gomes, que representou o prefeito do município.
Principal evento de capacitação voltado para bandas de música, criado pela Funarte, em 1976, para atuar em prol do desenvolvimento das bandas de música no Brasil, apoiando, estimulando e preservando a rica tradição dessa linguagem musical. O trabalho já foi realizado em vários municípios paraenses, como Salvaterra, Vigia, Pontas de Pedras, Bragança, Castanhal, Paragominas e agora em Salinópolis.

 

Por Rosa Cardoso/AG. PARÁ

122 viewsPublicado por: Kleydson Oliveira | em: 20/11/2018
COMENTE:
previous arrow
next arrow
Slider